quinta-feira, 17 de julho de 2014

Relato de ex-proprietário de um Chery S-18

Transcrevo-lhes o breve relato do Daniel Ferro, membro do grupo Chery Nunca Mais! e ex-priprietário de um S-18:

"Espero que meu relato seja de utilidade para quem pensa em comprar um Chery. Em Março de 2013 minha mãe me alertou que havia visto um QQ na rua e se encantou. Achou bonitinho, pequeno, e achava ideal por ser completo e com custo baixo. Bem, fomos até uma concessionária e o vendedor conseguiu empurrar um S-18 com 800km alegando que o motor era mais potente e que para estrada era ideal, e que a antiga dona só deixou com ele pq havia perdido o emprego...bem...era minha mãe quem queria e decidiu arriscar. Um ano....isso mesmo....um ano foi o tempo que permanecemos com o carro e a luz do AirBag nunca se apagou. Levamos 6 vezes na Oficina da Wei Motors da Av.Francisco Morato em SP. Arrumava e dias depois voltava a acender. E além disso, a seta simplesmente deixava de funcionar. Um carro ano 2012 completo...e não tinha seta e pisca-alerta. Ficava dias para arrumar e o problema voltava. Era resolvido com um "empurrãozinho" na caixa de fusíveis....carros muito mais velhos e arcaicos tinham seta e o nosso não....Aquilo foi me deixando irritado e com muito custo, convenci minha mãe a me deixar trocar o carro....é aí o meu alerta....
Não foram uma, nem duas....foram 6 concessionárias que se recusaram a receber nosso S-18 sob a alegação que encalharia no show room. Nem quiseram avaliar. O carro conseguiu ser "empurrado" por impressionantes 18 mil reais e eu nem questionei se estava baixo ou não, pq a média de avaliação nas outras 3 que aceitariam o carro era de 15 mil reais (por um carro comprado por 26 mil reais)
Por favor, não comprem um Chery até que a marca se estabeleça bem no Brasil ou simplesmente suma de vez como aconteceu com outras montadoras."


Relembro-lhes que o problemático S-18, lançado no início de 2012, deixou de ser oferecido pela Chery Brasil ainda no mesmo ano.


terça-feira, 1 de julho de 2014

Revisão dos 20.000 KM do Chery Face

Semana passada, tive que levar a minha maldita bombinha para a revisão obrigatória dos 20.000KM, para continuar satisfazendo as condições da "maravilhosa" garantia Chery, apesar de mal estar usando o carro, que percorreu pouco mais de 14.000KM desde o fatídico dia que resolvi comprá-lo.

Na ocasião, apenas solicitei a revisão por preço fixo dos 20.000KM e que resolvessem um problema recorrente no sistema de freios (já publicado neste blog), sobre o qual venho reclamando desde o início do ano.

Para resumir:

1. Não resolveram o problema do freio. Mais uma vez alegaram que não havia peças e ou previsão de chegada. Continuo com o carro sem ABS e com sensor do sistema de freio inoperantes.

2. O exorbitante valor de R$612,87 pela revisão dos 20.000Km deveria cobrir os itens listados no site e a mão de obra:


Vejam que o 4º item refere-se ao Óleo Lubrax Tecno 15W-40. É o óleo recomendado pelo fabricante, conforme manual. Trata-se de um óleo simples, barato e encontrado em qualquer posto.

Todavia, é prática comum da Redenção Chery, desde a primeira revisão, utilizar o óleo Uni Tech SL 15W40, um dos óleos mais baratos do mercado. Desta vez não foi diferente, senão vejamos a nota fiscal:


Apesar de conhecer esta prática da Redenção Chery, desta vez há no site da Chery a menção de que o preço fixo da revisão inclui um óleo específico, no caso, o recomendado pelo fabricante. Por que a Redenção Chery insiste em utilizar o óleo não recomendado, quando estou pagando pelo óleo recomendado?

Observem ainda que o litro do óleo Lubrax recomendado pelo fabricante custa em postos de gasolina a bagatela de R$ 14,00. Enquanto que o óleo Uni Tech, não encontrado com facilidade nos postos, custa cerca de R$ 10,00. Nesta ocasião, paguei R$32 por um óleo que custa R$10,00 no mercado e não é o óleo recomendado. O preço já seria abusivo para o óleo recomendado, mas a Redenção acha pouco e ainda coloca um óleo mais barato a preço de óleo de primeira linha.

Esta é só mais um epsódio na minha saga com minha bombinha.

Atualização (07/07): Entrei em contato telefônico com a Chery Brasil acerca do problema, explicando que além de ser uma prática comum da Redenção Chery colocar óleo não recomendado, havia pagado por um óleo específico (o listado como item da revisão por preço fixo) e haviam aplicado outro. Mais uma vez a resposta foi: "Não podemos fazer NADA!"